Um pouco do meu mestrado

Há quanto tempo não venho por aqui, hã? (Ops! I did it again!) Mas nada como uma boa leitora-amiga pra dar aquela injeção de ânimo na gente. E foi o que fez a minha amiga Lanna que, mais uma vez, passou por aqui e deixou seu comentário com uma sugestão de assunto pro blog. Valeu Lanna!!

Então vamos lá, falar um pouco sobre a minha experiência no mestrado que estou fazendo por aqui. Aliás, que estou quase terminando, graças ao bom Deus!!!

COMEÇO DE TUDO

kingston4

Já mencionei aqui que quando decidi vir para Londres, não pretendia ficar mais de 6 meses longe de casa? Pois é! Tremia de medo só em pensar na possibilidade de passar muito tempo longe do Brasil. Achava que não suportaria de saudades! Mas nem bem terminei meu primeiro curso de inglês e já comecei a me movimentar pra estender meu visto. Primeiro fui ficando no inglês mesmo, mas, depois de um certo tempo, você dá uma enchida de saco de ter que ir todo santo dia para aula de inglês. Foi então que comecei a me informar sobre possíveis cursos de pós-graduação por aqui.

De posse dos meus 7 suados pontos em todos os quesitos do IELTS (International English Language Testing System), eu podia tentar uma vaga na maioria das universidades britânicas. Escolhi tentar na University of Westminster (Jornalismo Internacional) e na Kingston University (Comunicação Corporativa). Foram vários formulários, redação explicando motivações, entrevistas e uma bela nota em traduções de cartas de recomendação, histórico acadêmico e diploma, até ser aceita nas duas universidades. Daí, o difícil passou a ser eu  decidir qual delas eu queria mais!

Resolvi ser racional e, embora eu quisesse muito investir em uma carreira de jornalista internacional, achei melhor seguir no ramo corporativo por achar que me daria mais chances reais de trabalho, aqui ou no Brasil. Como já tenho uma graduação em jornalismo na bagagem, achei mesmo que um mestrado em jornalismo internacional não acrescentaria (tanto) ao meu CV. Título por título, já tenho um de bacharel em jornalismo. Então decidi abrir o leque de opções!

COMUNICAÇÃO CORPORATIVA

Acho mesmo que minha escolha foi super certa! Eu amei meu curso. A princípio, achei tudo muito Marketing pro meu gosto, mas a medida que fui estudando fui me fascinando. Tivemos módulos super interessantes como Global Marketing, Integrated Marketing Communications, Relações Púbicas, Comunicação Interna, Gestão Responsabilidade Social, Gestão de Comunicação Cross-Cultural...

É um programa super abrangente e nos dá uma visão bem ampla de tudo o que está envolvido em comunicação organizacional. Achei a maneira com que a universidade mistura conteúdo acadêmico e prático estimulante. Tivemos vários palestrantes convidados trazendo várias dicas práticas do mercado e, em sala, tínhamos que desenvolver a parte teórica/acadêmica. Também fiquei impressionada com a estrutura oferecida! Por exemplo, a universidade dispõe de uma ampla biblioteca e nos dá acesso a um acervo imenso de livros e jornais acadêmicos. Oh! Jesus! Dá até pra rir quando eu lembro da minha Faculdade São Luís e da minha Universidade Federal do Maranhão (onde por sinal abandonei o curso de Rádio e TV no 6o período!). Seria cômico se não fosse trágico!rs

kingston campus1

kingston campus2(Fotos extraídas do Facebook da Kingston University)

AMIGOS

Apesar de a turma de Comunicação Corporativa, especificamente, ser bem pequena (10 inicialmente, reduzidos a 8 por problemas de visto e saúde), na maioria dos módulos temos aulas com alunos de outros cursos de Marketing e Comunicação e essa troca de experiências é maravilhosa. Outro fator que achei tudo de bom é o alto índice de estudantes internacionais, o que enriquece ainda mais as aulas. Só pra tentar citar alguns países: Inglaterra (claro!), Alemanha, EUA, Bélgica, Quênia, Holanda, Índia, Rússia, Suécia, Finlândia, Noruega, Paquistão, China, Colômbia, México, Polônia, Ucrânia, Itália, Bulgária, Líbano, Luxemburgo, Egito, Turquia... Nossa! É tanto lugar diferente e um ótimo detalhe: pouquíssimos brasileiros, para nossa alegria!rs Calma! Não me julguem! Nada contra nosso amado país, mas ter pouco/quase nenhum compatriota por perto ajuda muito no processo de entrosamento. Por exemplo, um grupo de chineses (que deve ter vindo por alguma agência) só andava em ‘bando’, conversando em chinês. Resultado: quase não se misturaram com o resto do mundo! Uma pena!

kingston2

kingston3

AULAS

De um modo geral, não existe grande diferença entre formato das aulas por aqui e no Brasil. Nenhum mistério: power point, perguntas, provas, trabalhos em grupo etc. Não sei se eu era a única louca, mas achava que era algo mais ‘terrorista’, do tipo não interrompa a aula e responda todas as perguntas que o professor fizer sobre o conteúdo do dia (tipo em filme americano?). Mas que nada! Tranquilo!

Quanto ao inglês, também não senti nenhuma dificuldade em acompanhar as aulas. Mas, se meu conselho for do interesse de alguém, sugiro que estudantes internacionais não superestimem a própria capacidade de leitura em inglês. Sério mesmo! A menos que você já esteja ultra acostumado a ler em inglês, tenha sempre em mente que você vai precisar de um extra time, pelo menos no começo. A carga de leitura é puxada e acumular pode deixar sua vidinha complicada!

Aos atrasadinhos (como essa pessoa que vos fala ERA, do verbo não sou mais!rs), o mito relacionado à pontualidade britânica realmente funciona na Kingston University. Obviamente, alguns professores são um pouco mais tolerantes do que outros, mas no geral, a regra é clara Arnaldo: atrasado não entra! Aliás, até rola uma colher-de-chá e 15 a 20 minutos depois que a porta é fechada o professor autoriza (ou não) a entrada dos atrasados. Depois disso, não tente bancar o ninja e entrar de fininho ou vai passar vergonha!

PLÁGIO

Uma coisa que me chamou atenção foi o quanto eles levam a questão do plágio a sério. Posso até estar desinformada, mas nunca tinha ouvido falar do Turnitin, um programa que escaneia todo o teu trabalho, buscando trechos plagiados. Se ficar caracterizado plágio, o aluno (dependendo da gravidade) pode ser expulso! 😮

Em pensar que meu professor pagava a filha dele por cada trechos copiados da internet que ela achasse nos trabalhos dos alunos! Kkkkkkkk

ACOMODAÇÃO

Um comentário final, se estiver pensando em estudar na Inglaterra, considere universidades próximas a sua residência, caso já more por aqui e não queira mudar, ou procure acomodação nas imediações da universidade escolhida, caso ainda esteja vindo ou esteja aberto a mudança de endereço. Acredite, é doloroso ter que fazer um percurso de quase 1h30min pra chegar na universidade e depois de tudo lembrar que ainda tem que voltar! No meu caso, como a uni fica em Kingston e a maioria dos estudantes mora por lá (enquanto eu moro perto do centro de Londres), eu também lamento ter perdido muita coisa off-university. Um jantarzinho na casa de um, uma festinha na casa de outro... acabava perdendo por conta da distância! Morar longe complica até pra você usufruir das facilidades da universidade! Pense nisso!

TPM - Tensão Pré Monografia

No mais, aguardemos as cenas dos próximos capítulos dessa novela! Já estou vivendo o drama da Tensão Pré Monografia! Por sinal, o tema da minha é o uso de técnicas de storytelling para comunicar mudanças em organizações! Chique, não? Mais detalhes sobre o ‘parto’ dessa tese você acompanha aqui em breve!

kingston1

8 comments

  1. Simone 22 May, 2012 at 12:37 Reply

    Karine, you are rock, baby!!!! Eu adoreiiii seu post hoje, super legal saber dessa nova fase da sua vida e que ela motive outras pessoas a seguir o mesmo caminho. Vivi isso em Roma quando fiz minha pós e os traumas e medos são parecidos, assim como a delícia de viver tudo isso!! Good Luck!! And kepping going..

    • Brazuka 22 May, 2012 at 12:55 Reply

      Obrigada Simone! Tenho vivido tanta coisa por aqui que queria compartilhar no blog, mas cadê disciplina pra vir aqui e escrever?rs Vou criar vergonha na cara e atualizar com mais frequência! 🙂 Prometo! Bjs

  2. Lanna Costa 31 May, 2012 at 02:29 Reply

    Karineeee, fiquei muito feliz pela menção que você fez da minha pessoa no blog. Adorei saber um pouco do seu mestrado. Para quem está de fora, parece coisa de outro mundo, mas pelo seu relato relato parece ser super tranquilo (ok, não leve tão a sério qnd digo tranquilo, pq nunca é)levando em consideração a organização e pontualidade britânica e todo o suporte que as universiades daí oferecem. Invejinha branca de você!kkkkk Espero que dê tudo certo por aí com a mono e que você volte correndo para contar um pouco mais de sua prazerosa jornada na terra da rainha. Ah, e acredite quando eu disse conservada, era realmente um elogio!! Bjs

    • Brazuka 1 June, 2012 at 09:26 Reply

      hahaha Gostou dos créditos Lanna? Foi uma forma de agradecer o incentivo! 🙂 Quanto ao mestrado, é exatamente como você disse, nada de outro mundo. A gente acaba pensando: Ooooh estudar fora… que medo! Mas na prática, enfrento as mesmas dificuldades (com uma dose extra de ‘drama’ por conta do idioma, mas tudo bem!) que enfrentaria no Brasil. A vantagem por aqui é a estrutura, o aspecto cultural etc! Depois conto mais da minha vidinha de estudante! 🙂 Bjs

  3. Wesley Veras 6 June, 2012 at 21:03 Reply

    Muito boa essa iniciativa de expor suas experiências aí em Londres. Tenho vontade de partir pra Europa em uma pós-graduação também. Sei das dificuldades, mas mesmo assim continuo animado. Mas quero Algo na França, Bélgica ou Suíça. Achei sensata também a sua decisão de optar pela área corporativa, geralmente existem mais oportunidades. No mais, só posso te desejar toda a sorte do mundo e aproveite bastante todas as oportunidades e possibilidades. Bju

    • Brazuka 6 June, 2012 at 21:59 Reply

      Oi Wesley! Fico feliz em poder compartilhar minha experiência, pois sei que dessa forma posso ajudar pessoas que, como eu um dia estive, estão cheias de dúvidas sobre como é viver longe do Brasil. Não desista do seu intercâmbio e seja qual for a sua decisão, me convide para visitá-lo! hehehe Bjs

  4. Marina 3 September, 2015 at 12:22 Reply

    Oi Karine, tudo bem?
    Seu blog é top, parabéns 🙂
    Fiz um intercâmbio de um ano em Dublin e voltei para o Brasil já tem um ano. Gostaria muito de voltar pra zoropa haha continuar os estudos agora em Londres.. Apesar do câmbio, estou me esforçando pra isso.. Você poderia compartilhar sobre os valores que vc investiu em seus cursos de inglês e mestrado, qual foi a escola em que cursou o inglês e quanto você sugeriria mais ou menos pra levar, pra bancar as despesas até conseguir um job?

    Obrigadaa! 🙂

    • karineporto 13 September, 2015 at 15:29 Reply

      Oi Marina!! O câmbio atual está de matar, mas se é seu sonho vir pra cá… força na peruca e simbora!rs O meu mestrado custou £12 mil, já o curso de inglês, eu realmente nao lembro, até porque fui extendendo aos poucos. Mas você pode checar os preços atuais da escola que frequentei (Malvern House) nesse link: http://www.malvernhouse.com/prices/

      Sobre grana, vai depender muito de onde vc vai morar, como vai se alimentar, o quanto vai sair etc. Se for dividir quarto com colegas de curso, dá pra economizar bastante, se morar mais afastado paga aluguel mais barato (mas gasta mais com transporte — se precisar de metro/trem). Tendo tudo isso em mente, deve dar pra achar quartos divididos de £300 -£400/mês (contas inclusas e relativamente perto do centro) e imagino que sendo beeeem controlada deve dar pra se alimentar por £100-£150/mês. Cartão transporte zonas 1-2 = £87 (isso inclui trem, metro e bus– só onibus eh bem mais barato) https://tfl.gov.uk/fares-and-payments/fares?intcmp=1648.

      Bom, é mais ou menos isso. Você pode gastar o minimo ou o dobro dos valores que dei aqui. Tudo depende de como você vai cortar gastos e dos sacrificios que vai topar fazer.Mas pesquisa direitinho as exigencias do governo. Na minha época, eles exigiam que estudantes comprovassem um valor minimo de £800/mês na conta. E hoje em dia, estudantes de ingles nao tem mais permissao para trabalhar nem meio periodo!! Pesquise bastante, pois essas regras mudam demais.

      Espero ter ajudado, qualquer duvida eh so voltar aqui! Boa sorte!

Leave a reply

Translate »