O que fazer em Salvador: minha lista de 10 coisas imperdíveis

Estava devendo esse post sobre Salvador há séculos, mas sempre ficava enrolando. Agora que estou tomando vergonha na cara e tentando tirar o atraso de posts, resolvi, finalmente, fazer a minha listinha de coisas bem legais pra se fazer na capital baiana. Mas, já aviso que não é minha intenção fazer desse post um guia completo ou roteiro passo-a-passo, pois, infelizmente para quem precisa de informações mais detalhadas (e felizmente para mim e o Lazar), quando estivemos em Salvador em março desse ano, fomos divinamente recebidos por amigos que não apenas nos hospedaram, mas também nos levaram para todos os lugares (muito obrigada família Gardasević!).

Por conta dessa mordomia que tivemos, vou ficar devendo detalhes como transporte, hotéis e afins, mas achei que era válido compartilhar minhas dicas da cidade.

Não deu pra fugir dos lugares óbvios, como o Pelourinho e a igreja do Senhor do Bonfim, mas também incluí outros lugares que, até então, não havia visitado (eu já tinha ido a Salvador quando criança e com a galera da faculdade).

Vamos a lista dos meus 10 top o que fazer em Salvador:

1 – Pelourinho

O Pelourinho corresponde a parte central da Cidade Alta e concentra a maioria das atrações turísticas mais populares de Salvador (algumas por sinal estão na minha lista). A região como um todo já é uma atração pelo conjunto da obra – ir a Salvador e não tirar uma foto mostrando as ladeiras e casarões coloniais coloridos do Pelourinho é o mesmo que vir a Londres e ignorar o Big Ben.

O que fazer em Salvador Pelourinho

 

Uma das áreas mais famosas do Pelourinho é o largo em frente a Fundação de Jorge Amado e o Museu da Cidade (ambos eu não visitei, infelizmente), que foi onde o pop star Michael Jackson gravou o clipe “They Don’t Care About Us”. Por falar nisso,  próprio “Michael” continua lá acenando da mesma janela do prédio em que ele apareceu no clipe e até hoje atrai fãs até o local.

O que fazer em Salvador Pelourinho

 

Declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco, o Pelourinho tem fama de perigoso, mas não sei se porque estávamos acompanhados de uma pessoa local, eu não percebi nada de anormal. É claro que vale ficar atento, mas achei tranquilo.

 

2 – Mercado Modelo

Se eu tivesse que indicar um local para começar um tour pelo centro histórico de Salvador, certamente, indicaria começar pelo Mercado Modelo, antes de subir para o Pelourinho.

O que fazer em Salvador Mercado

 

Considerado o maior shopping de artesanato do Brasil, o Mercado Modelo tem 263 lojinhas de todo tipo de artesanato e coisas típicas que você possa imaginar: cerâmica, berimbau, toalhas bordadas, pimenta, doces etc. Dedique um tempinho para explorar os dois andares de lojinhas e aproveite para levar pra casa suas lembrancinhas. E se você quiser dar uma relaxada antes de seguir com o passeio, aproveite que no andar de cima tem dois restaurantes que servem comida típica baiana e ainda tem um terraço externo com vista para a Baía de Todos os Santos.

O Mercado entrou na minha lista porque eu adoro essas coisinhas artesanais e faço questão de perambular por esse tipo de feirinha, mas se você não curte, não precisa gastar tanto tempo pelas diversas lojinhas, pois chega um certo ponto (ainda no andar de baixo) em que os artigos oferecidos começam a ficar repetitivos.

O que fazer em Salvador Berimbau

 

Dica: como acontece em qualquer mercado super turístico no mundo, barganhar é a palavra de ordem. Eu mesma, que sou um desastre em negociação, comprei uma escultura de cerâmica bem gracinha com um desconto super bacana.

  • Endereço: Praça Visconde de Cairu , s/n – Cidade Baixa
  • Horário de Funcionamento: Segunda a sábado de 09:00h às 19:00h e aos domingos e feriados de 09:00h às 14:00h com os restaurantes até as 16:00h.

 

3 – Elevador Lacerda

Bem em frente ao Mercado Modelo fica o Elevador Lacerda, um verdadeiro ícone de Salvador, mas que divide opiniões. Meu marido não ficou nada impressionado com o elevador, principalmente quando descobriu que nem vista panorâmica ele tem (isso mesmo, não tem vista nos 72m de subida). Mas vamos combinar que por 0,15 centavos não custa aproveitar pra chegar rapidinho na Cidade Alta, né? Reserve suas moedinhas e aproveite para tirar muitas fotos lá de cima e de quebra tome um sorvetinho na sorveteria mais antiga de Salvador, A Cubana, que fica lá no andar de cima.

O que fazer em Salvador Elevador

 

  • Endereço: Praça Tomé de Souza, s/n, Cidade Alta ou Praça Visconde de Cairu, s/n, Cidade Baixa.
  • Preço: R$ 0,15
  • Horário de Funcionamento: Diariamente das 06:00h as 23:00h

 

4 – Palácio Rio Branco

Assim que você sai do Elevador Lacerda, irá notar um prédio grande bem bonito logo a direita: é o Palácio Rio Branco. No local onde hoje fica o atual palácio, anos atrás ficava a primeira sede do Governo Geral do Brasil, quando a Bahia ainda era a capital do país, entre 1549 e 1763.

O que fazer em Salvador Palácio Rio Branco

 

A história de transformação do prédio – que já foi até bombardeado no passado – pode ser descoberta através de um passeio guiado muito bacana feito por estudantes voluntários. Durante o passeio, além de ouvir a história e visitar diversos cômodos do palácio, também é possível visitar um memorial dos governadores da Bahia, que fica no térreo do prédio.

O memorial tem um acervo bem interessante de objetos, medalhas e fotografias de todos os governadores baianos.

Chegamos sem pretensão (nem planejamento) e conseguimos facilmente organizar o nosso passeio guiado, mas no site do governo da Bahia eles sugerem que se faça o agendamento pelo telefone ou por e-mail. Não custa garantir, né?

Preço: O passeio é gratuito, mas é naquele esquema de “se você quiser fazer uma doação pro guia é super bem vindo”. Contribuímos com R$20,00 porque o garoto que foi com a gente era bem legal, mas fica a seu critério.

Horário de funcionamento: terça à quinta, das 10h às 15h e sábados das 13:30h às 17h. O memorial dos governadores não precisa de guia e pode ser visitado a qualquer momento dentro horário de funcionamento. As visitas podem ser agendadas através dos telefones (71)3117-6491 / 3117-6492, ou pelo e-mail astec.ipac@gmail.com. Máximo 30 pessoas por grupo. (Fonte: site do Governo da Bahia )

 

5 – Museu da Misericórdia

O museu fica no prédio da primeira Santa Casa de Misericórdia do Brasil, que data de 1697. O passeio guiado e pago (R$6,00) foi um dos mais interessantes que fizemos e nos deu acesso a inúmeras obras de arte sacra, luxuosos utensílios usados nos jantares dos administradores e benfeitores, mobiliários dos séculos 17 e 18, e documentos da época. Foi bem legal aprender um pouco da história e visitar as dependências do antigo hospital. Achei que foi um passeio super válido e, além de todo o acervo bacana e prédio bem bonito, ainda tem-se uma vista fantástica lá do alto, pena que não é permitido tirar foto lá dentro.

Salvador (7)

Foto: http://brasilimperdivel.tur.br/museu-misericordia-salvador/

  • Endereço: Rua da Misericórdia, nº 06 , Praça da Sé
  • Telefone: (71) 3322.7355/ 3329.9666
  • Horário de Funcionamento: Segunda a sexta das 08:00h às 17:00h
  • Preço: R$ 6,00 (adulto) R$ 3,00 (estudante e idosos), crianças até 07 anos acompanhadas dos pais não pagam. (Fonte: site do Governo da Bahia )

 

6 – Catedral Basílica Primacial de São Salvador da Bahia

Quando se fala em igrejas de Salvador, a igreja do Senhor do Bonfim, geralmente, é a primeira que nos vem a mente, mas a capital baiana conta com muitos outros templos lindíssimos e muito mais fácil de se chegar. A Catedral Basílica Primacial de São Salvador da Bahia é uma dessas igrejas lindas de viver e localizadas logo ali no centro histórico da cidade.

O que fazer em Salvador

 

A catedral é considerada a “igreja mãe” de todos os templos católicos de Salvador e fica em um antigo templo jesuíta super luxuoso (o maior construído por eles no Brasil), cuja construção original data do século 16. Com a expulsão dos jesuítas do Brasil, o rei de Portugal determinou que o arcebispo da Bahia tomasse posse do templo que havia ficado sem função e, assim, o templo passou a principal catedral.

Não vou falar aqui de detalhes de estilo artístico porque eu não entendo dessas paradas, mas como leiga que sou, achei o interior estilo barroco da igreja belíssimo e recomendo a visita.

Além do templo em si, é possível ainda visitar a sacristia que também é linda e cheia de detalhes impressionantes.

O que fazer em Salvador

 

  • Endereço: Terreiros de Jesus, Pelourinho, no Centro Histórico de Salvador.
  • Horário de Funcionamento: Segunda a sexta das 08:00h às 17:30h
  • Preço: Gratuito, mas “Umas pessoas doam 40 outras 50-60 reais para ajudar o guia” (palavras do próprio). Detalhe: Nós sequer tivemos tempos de nos dar conta de que estávamos sendo guiados, o guia já chegou falando sem parar e conduzindo a gente de um lado pro outro. Fica a dica, se quiser dispensar o guia, o faça já de cara ou eles grudam em você. Tirando o pedido exagerado no final, devo admitir que foi legal ter alguém contando a história do lugar pra gente – negocie antes e acho que fica tudo certo.

 

7 – Igreja e Convento de São Francisco

Por fora, a igreja de São Francisco até é bem bonita, mas é só depois que você entra no templo que vai entender a grandiosidade que ela representa. Com o seu interior todo coberto de ouro (tipo, muito ouro mesmo, Inshallah!) e teto cheio de pinturas religiosas lindíssimas, a igreja é lindíssima e até foi classificada como uma das ‘Sete Maravilhas de Origem Portuguesa no Mundo’ (lista que também inclui outra beleza brazuka – o Convento de São Francisco de Assis em Ouro Preto-MG). O convento está bem caidinho com marcas bem evidentes de deterioração nas paredes, mas estavam restaurando.

O que fazer em Salvador

O que fazer em Salvador

O que fazer em Salvador

 

A visita foi paga, mas não tem guia.

  • Endereço: Praça José de Anchieta, s/n - Centro Histórico
  • Horário de Funcionamento: De segunda a sábado das 09:00h às 17:30h e aos domingos das 14:00h às 17:00h.
  • Preço: R$5,00 (Visita não é guiada)

 

8 – Basílica do Senhor do Bonfim

A Basílica do Senhor do Bonfim não tem todo o glamour das duas outras igrejas que mencionei aqui, mas com certeza é uma das mais famosas da cidade. As fitinhas do Senhor do Bonfim são quase uma marca registrada de Salvador e o tradicional festejo de lavagem da escadaria fazem dessa igreja uma das mais populares.

O que fazer em Salvador Bonfim

 

Símbolo do sincretismo religioso baiano, a basílica leva o nome do padroeiro da Bahia e fica na Sagrada Colina, na península de Itapagipe.

  • Horário de funcionamento: Das 5:30h as 18:00h
  • Preço: Gratuito

 

9 – Acarajé da Cira

Acho que pode-se dizer que o acarajé está para Salvador como o fish and chips está para Londres e, portanto, já virou quase regra incluir a iguaria como uma atração turística em Salvador. Mas, escolher o tabuleiro certo que ofereça uma amostra verdadeira do sabor baiano pode não ser tão simples assim. Nessa hora, nada como uma dica de uma legítima soteropolitana para saber onde ir e a indicação da nossa querida anfitriã (obrigada mais uma vez, Leila!!) foi o famoso Acarajé da Cira, na praia de Itapoã.

O que fazer em Salvador Acarajé

 

Segundo apurei, a Cira vende acarajé há mais de 50 anos e já foi escolhida várias vezes por diversas revistas e guias do ramo de turismo como o melhor acarajé da cidade. Eu, que não sou muito fã de acarajé (pura e simplesmente porque O-D-E-I-O o cheiro do azeite de dendê) fiquei em dúvida se iria gostar, mas não resisti e provei, e tenho que dizer que super aprovei.

Sei que existem diversas opções de acarajé espalhadas pela cidade, mas se você tiver uma chance de esticar até Itapoã, não deixe de incluir o famoso Acarajé da Cira, que fica na Rua Aristides Milton, s/nº, Itapuã.

  • Preço: R$8,00

 

10 – Sorveteria da Ribeira

Ainda no quesito quitutes baianos famosos, vamos sair da quentura do acarajé para o geladinho de uma das sorveterias mais famosas de Salvador: Sorveteria da Ribeira.

O que fazer em Salvador Sorveteria

 

A Sorveteria da Ribeira pode até não ser a mais antiga de Salvador – a mais antiga é A Cubana – mas, também é bem popular. Localizada na península de Itapagipe, a Sorveteria da Ribeira funciona desde 1931, quando um comerciante italiano se estabeleceu no local e transformou seus sorvetes de fruta em uma verdadeira tradição local.

A disputa entre A Cubana e a Ribeira é acirrada e fica até difícil escolher uma favorita. Achei ambas tudo de bom, pois além de terem uma variedade incrível de sabores, são igualmente tradicionais. O que me levou a colocar a Sorveteria Ribeira na minha lista foi a sua localização não tão óbvia quanto a A Cubana, que fica bem no centrão. Achei que seria uma boa lembrar a turma de passagem por aquelas bandas da igreja do Senhor do Bonfim que esticassem para uma parada estratégica para um sorvete tudo de bom.

E se minha palavra não basta, basta uma breve pesquisa para descobrir que a sorveteria já foi bastante premiada e atrai diversas celebridades – ambos prêmios e fotografias de vários famosos são orgulhosamente exibidas na parede do lugar.

  • Preços do sorvete: R$7,00 (uma bola) e R$12,00 (duas bolas).

 


E assim eu encerro minha lista. É claro que faltou muita coisa, mas decidi escolher apenas 10 (notem que mencionei algumas outras opções ao longo do post). E vocês? Se tivessem que fazer uma lista de apenas 10 coisas imperdíveis para fazer em Salvador, o que indicariam?

Deixem suas listas com o que fazer em Salvador aqui nos comentários!

 

2 comments

    • karineporto 18 July, 2017 at 09:44 Reply

      Que maravilha! Fico feliz que tenha gostado e espero que curta bastante Salvador. Nos próximos dias vou tentar escrever uns posts atrasados sobre a cidade e quem sabe ajudo mais um pouquinho! 🙂

Leave a reply

Translate »