Winchester: um passeio pela antiga capital da Inglaterra

Imagine se fosse possível embarcar em uma viagem no tempo que, ao invés de te levar de volta para um ano específico do passado, te levasse para um tour por diversos períodos históricos e, de quebra, ainda incluísse um pouco de lenda no passeio. Imaginou? Pois fique sabendo que já é possível fazer essa viagem.

winchester18_12

Não, infelizmente, ainda não inventaram uma máquina do tempo no estilo do filme ‘De Volta Para o Futuro’ (pelo menos não que eu saiba!), mas se você procura um lugar cheio de história para contar – com objetos, prédios e ruínas que ajudem a materializar essas histórias diante dos seus olhos – Winchester é exatamente o que você está procurando.

winchester17_148

A antiga capital da Inglaterra, foi a casa da realeza por muitos anos. Isso mesmo, antes de Londres se tornar a capital inglesa, Winchester foi o grande centro político-econômico inglês e foi dali que o rei Alfred O Grande reinou entre os anos de 871 a 899. Mas aí, você deve estar se perguntando: quem é Alfred na fila do pão? Deixa que eu te explico.

O único monarca britânico conhecido como ‘Grande’, Alfred teve suma importância para a história do país. O rei se destacou no comando de estratégias militares contra os vikings e foi crucial na negociação da saída deles de solo inglês, o que abriu as portas para a unificação da Inglaterra. Foi um notável militar e líder político, mas também foi um estudioso que exerceu grande influência na propagação do aprendizado e da escrita na Inglaterra. Ao ser coroado rei de Wessex (Kingdom of the West Saxons), Alfred escolheu Winchester como capital, daí a relação próxima entre o monarca e a cidade.

Não sei e não vou me estender com os detalhes históricos, mas caso tenham interesse em aprender mais sobre a cidade, recomendo o site do Visit Winchester www.visitwinchester.co.uk. No site você vai encontrar diversas informações sobre Winchester e, se tiver planos de visitar a cidade, ainda pode agendar tours guiados. Pessoalmente, acho que super vale a pena fazer um tour, pois deixa mais fácil de entender a história por traz de cada canto, prédio e ruína.

Mas se não quiser agendar o tour, não te problema.  Só de caminhar pelas ruas antigas de Winchester você já terá uma boa prova da tal viagem no tempo que me referi no começo do texto. São prédios, ruas, monumentos e um verdadeiro tesouro arquitetônico que te levarão a vários momentos históricos, inclusive ao reinado do lendário rei Arthur.

VIAGEM NO TEMPO EM 5 ATRAÇÕES

  1. Great Hall do castelo de Winchester

winchester11_23

O castelo de Winchester foi originalmente construído, em 1067, por William, o Conquistador, numa tentativa de estabelecer o seu domínio sobre a cidade. Certamente foi um prédio imponente, mas da construção original, apenas o Grande Salão (Great Hall) do castelo permanece de pé e, hoje, é uma parada obrigatória para quem visita Winchester.

 

winchester13_34

O Great Hall funciona das 10h as 17h com entrada é gratuita, porém eles sugerem uma doação de £3.00 por pessoa. Também é possível organizar tours guiados para grupos e, no caso de grupos grandes, a doação sugerida é de £1.50 por pessoa.

 

  1. Távola redonda do Rei Arthur

É no Great Hall que fica exposta a famosa távola do Rei Arthur. Diz a lenda que a famosa mesa de formato redondo (para que não houvesse uma cabeceira e representasse a igualdade entre todos) era onde o rei Arthur se reunia com seus cavaleiros.

 

winchester1_168

Se o rei Arthur realmente existiu ou não é uma discussão que nunca chegará ao fim. Mas sabe-se que a idade da távola de Winchester não bate com o período em acredita-se que o rei Arthur tenha vivido. Estudos mais modernos apontaram que a mesa foi feita por volta de 1270, começo do reinado de Eduardo I, conhecido por admirar as histórias do rei Arthur. Então, tudo indica que a mesa foi, na verdade, feita por encomenda do rei Dudu. De qualquer forma, sendo verdade ou não, ficar frente a frente com a mítica távola é uma experiência incrível e mexe com o nosso imaginário infantil adormecido.

 

  1. Catedral de Winchester

winchester12_37

A catedral de Winchester é uma das maiores catedrais da Europa e, provavelmente, a maior atração da cidade. Sua construção em estilo gótico foi iniciada em 1079, mas só foi concluída em 1100. É um prédio magnifico, rico em detalhes que merecem uma visita sem pressa. Também é possível fazer um tour pela torre da catedral, mas o preço não está incluso no valor do ingresso.

 

winchester7_134

Detalhes da Catedral de Winchester

O horário de funcionamento varia. Vai das 9:30h às 17h, de segunda a sábado, e das 12:30h às 15h aos domingos. O ingresso custa £7.95 (estudante paga £4.45). O tour pela torre custa £6.00. Vale confirmar as informações no site da catedral 

Dica: Atente para o o horário de funcionamento, e tente ver a Bíblia de Winchester (relíquia do século XII) o quanto antes. Embora a catedral permaneça aberta, a biblioteca fecha as 4pm pois os voluntários responsáveis por essa parte vão embora e os alarmes são acionados (pelo menos foi isso que um funcionário me disse!).

Também não deixe de procurar o túmulo da escritora britânica Jane Austen, enterrada na catedral.

winchester10

E falando em Jane Austen, os fãs da escritora também podem ver a casa onde ela viveu os seus últimos anos. A casa localizada na College Street não é aberta ao público, porém, é possível localizá-la através de uma placa na fachada da casa.

 

winchester4_103

Casa onde Jane Austen passou seus últimos anos de vida

O fato de Jane Austen ter se mudado para lá, prova que a relevância de Winchester foi muito além da política e economia. A cidade também se destacou na medicina e esse foi o motivo que levou a escritora a mudar-se para lá – para buscar tratamento para sua debilitada saúde. Jane, infelizmente, não resistiu e morreu em 18 de julho de 1817 e acabou sendo enterrada na catedral de Winchester.

 

  1. Ruínas do Castelo de Wolvesey

winchester8_135

Continuando a sua viagem no tempo, não deixe de visitar as ruínas do castelo de Wolvesey, que era a antiga residência dos poderosos bispos de Winchester, na Idade Média. O castelo foi palco de inúmeros eventos grandiosos, incluindo-se o banquete do casamento da rainha Mary e Philip da Espanha. As ruínas que se vê hoje são em sua maior parte remanentes do palácio do século XII, construído pelo Bispo Henry de Blois, irmão do Rei Stephen. É uma parte interessante do passeio por Winchester, pois embora esteja em ruinas, o castelo ainda nos dá uma dimensão da grandiosidade em que viviam os eclesiásticos da época.

 

  1. Portões medievais de Winchester

Complete sua viagem conhecendo os dois portões restantes da Winchester medieval: o Kingsgate e o Westgate. Mas com um pouco de imaginação é possível visualizar como a cidade era protegida por essas fortificações.

O Kingsgate, que fica a caminho da Catedral, era o portão de entrada para o palácio real e no topo dos seus arcos fica a igreja de São Swithun-upon-Kingsgate (dedicada ao bispo Swithun, um dos mais queridos santos saxão). A igreja de São Swithun é, provavelmente, a única igreja localizada sobre um portão medieval, daí seu caráter único. É uma igreja bem pequena e simples, mas vale a pena subir as escadas na lateral do portão para uma rápida visita (gratuita).

 

A igreja

A igrejinha de São Swithun no topo do Kingsgate

 

winchester2_130

Kingsgate - do lado esquerdo tem uma lojinha e do lado direito fica a subida para a igreja

Já o Westgate é o último dos principais portões medievais na cidade e fica na parte alta da cidade. Vale a pena subir até o topo de onde se tem uma vista privilegiada da rua comercial (high street) mais antiga da Grã-Bretanha.

 

winchester15_128

Westgate

Por questão de segurança, em caso de chuva pode ser que o acesso ao terraço esteja fechado, mas pergunte mesmo assim! No Westgate também funciona um pequeno museu cuja entrada também é gratuita.

 

COMO CHEGAR?

Winchester é um passeio bate e volta super fácil de fazer a partir de Londres. Com trens partindo em média a cada 10 minutos de Waterloo (estação bem central perto da London Eye), a viagem dura um pouco mais de 1 hora e é bem tranquila. Chegando lá, é bem simples de se locomover, pois a estação de Winchester fica a uma caminhada de cerca de 10 minutos do centrinho da cidade e dá para conhecer os principais pontos a pé mesmo.

Os bilhetes ida e volta custam em mais ou menos £35, mas é possível encontrar pacotes mais baratos se comprar em grupo e com antecedência. Nós compramos em grupo (4 pessoas) e pagamos £23/pessoa. Vale a pena pesquisar com através do site The Trainline.

Além dos cinco principais prontos que listei aqui, não deixe de visitar também a rua comercial mais antiga da Inglaterra.

 

O PROJETO #OFFTO

winchester3

Essa viagem para Winchester foi o primeiro de muitos bate e voltas que eu (Karine PortoBlog Brazuka, prazer!), a Heloísa Righetto (Aprendiz de Viajante), Liliana Stahr (Catálogo de Viagens) e Thais Nascimento (Sete Mil Km) estaremos fazendo pelos arredores da Inglaterra. A ideia é desbravarmos juntas alguns destinos e compartilharmos nossas descobertas nos nossos respectivos blogs e nas redes sociais através das hashtags #OffTo e #OffToWinchester (e no futuro, ‘Off To’ + nome do novo destino!). Gostaram da ideia? Então fiquem ligados e nos sigam nas redes sociais que vem mais #OffTo por aí!

 

winchester9

 

Para essa primeira aventura, contamos com o apoio do Visit Winchester e Visit Hampshire, que gentilmente nos concederam tours guiados pela cidade e pelo Great Hall, e nossas entradas para a Catedral.

 

 

23 comments

  1. Mariana 22 January, 2017 at 01:50 Reply

    Ótimo post Karine! Winchester parece ser maravilhosa, principalmente por toda sua história! Você acha que vale a pena ficar alguns dias ao invés de bate-volta? Espero ir em breve! 🙂

  2. Klécia 22 January, 2017 at 20:14 Reply

    Pra ser muito sincera, só conhecia Winchester por fotos antigas de livros ou seriados de época ingleses. Foi ótimo ver seu post e descobrir quanta coisa linda – e interessante – tem pela cidade atualmente. De fato, fiquei encantada em ver que não mudou muito da minha visão antiguinha da cidade. Os anos passam e ela segue incrível 🙂

  3. Gisele Prosdocimi 23 January, 2017 at 02:07 Reply

    Quanta história e lugares interessantes para conhecer em Winchester, adorei o post e as fotos. Ainda não visitei a Inglaterra, mas quando for este será um dos destinos que faço questão de conhecer. Bom demais!!!

    • karineporto 26 January, 2017 at 22:39 Reply

      Oi Luiz! Como não amar a Inglaterra, né? A cada cidadezinha visitada só cresce o amor por esse país! 🙂

  4. Marta Chan 23 January, 2017 at 19:23 Reply

    Winchester é um lugar bem histórico e com tanto para visitar! Com estas fotos e relatos apeteceu-me conhecer. Já fui a Londres duas vezes e à segunda até gostei, mas parece bem maior do que Winchester!

    • karineporto 26 January, 2017 at 22:41 Reply

      Winchester é uma cidadezinha bem menor que Londres, mas cheia de história. Quando voltar a Inglaterra tente incluir um passeio por lá, vale a pena! 🙂

  5. VideoPortal 2 April, 2017 at 20:05 Reply

    Southwark pertencia ao reino mas Londres estava alem do territorio do Wessex. Incluiam-se entre as povoacoes importantes alguns centros urbanos de origem romana, tais como Dorchester e Winchester , esta ultima alcada a capital do reino por Alfredo em 871, bem como novos

Leave a reply

Translate »