Arte em Londres: meus top 5 da National Gallery

A minha relação com a National Gallery em Londres é um desses típicos casos de amor à primeira vista. Cheguei em Londres, em 2009, para o que eu pensei que seria um curso de inglês de apenas sete meses. Sem conhecer ninguém por aqui, morei pouco mais de um mês com uma família local (a minha host family) e, embora a minha mãe britânica fosse um amorzinho, eu não queria ser aquela presença incômoda na casa dela. Sempre que dava, eu inventava algo para dar um jeitinho de ficar na rua o máximo possível. E foi numa dessas saídas, aliás, na minha primeira saída de todas, ainda nas minhas primeiras 24 horas na cidade, que descobri aquela que viria a ser a minha galeria preferida de Londres: a National Gallery.

The National Gallery

Localizada no centrão da cidade, bem no coração da Trafalgar Square, a galeria era meu refúgio contra a solidão de recém-chegada. Era ali que eu “matava o tempo” antes/depois da aula, na companhia de artistas cujas obras eu só conhecia de livros e que achava que eram tão distantes de mim. Embora não fosse grande conhecedora de arte, lembro-me da sensação de ficar pela primeira vez frente a frente com obras de Vincent van Gogh, Cezánne, Renoir, Da Vinci etc. Foi meio surreal!

Foi ali também que comecei a entender a intensidade que Londres representava para mim. De pé na varanda em frente à galeria, passava um bom tempo observando tanto o movimento de turistas na Trafalgar Square quanto o Big Ben ao longe. Era ali que, por alguns minutos, me dava conta de que estava vivendo o meu sonho de estar em Londres. E quer saber? Até hoje faço isso! Vou à varanda da galeria ou sento nas escadas da praça e fico ali pensando comigo mesma: ‘Cara, eu tô em Londres mesmo!’. (Parece besteira, mas é muito bom, sério!). Mas voltemos à galeria...

National Gallery em Londres

National Gallery em Londres

As obras da National Gallery são divididas cronologicamente, distribuídas em quatro períodos como você pode conferir aqui. Sempre que tenho amigos ou familiares me visitando, aconselho que reservem umas horinhas para fotografar (sim, fotos são permitidas desde que SEM FLASH!) e explorar cada ala da galeria com calma, pois é muita coisa linda para ver. Mas para quem vem com a agenda mais apertada, o meu conselho é se concentrar no lado direito do salão central que é onde (NA MINHA HUMILDE OPINIÃO) fica concentrada a maioria das obras mais icônicas da galeria.

Para te dar uma mãozinha na hora de decidir o que ver, aqui vai a minha lista com 5 obras que gosto bastante e que são de artistas que até leigos em arte (como eu) irão reconhecer:

  • Sunflowers, Vincent van Gogh (1888)
Sunflowers Van Gogh na National Gallery em Londres

Sunflowers Van Gogh na National Gallery em Londres

Esta é uma das quatro pinturas de girassóis feitas por Vincent van Gogh, que datam de agosto e setembro de 1888. Simplesmente, não tem como resistir a uma espiadinha a esssa obra tão icônica!

The Sunflowers Van Gogh na National Gallery em LondresO jornal The Telegraph apontou que, por quase um século, os girassóis de van Gogh figuram entre as pinturas mais amadas pelo público britânico. E eu arrisco dizer que é uma das queridinhas do público em geral. É tão popular que o mesmo jornal (em referência a Martin Bailey que escreveu um livro sobre o assunto) mencionou que o piso na frente da obra "fica mais riscado" do que em frente a qualquer outro trabalho na National Gallery e que o sucesso do cartão postal de Sunflowers ultrapassa todos os outros na livraria. É realmente imperdível. Você com certeza irá notar o movimento maior de pessoas na sala 43 perto de onde estão os girassóis de van Gogh.

Bônus: Aproveite e já dê uma olhadinha em outra obra do pintor, Van Gogh’s Chair (1888) que fica do ladinho.

National Gallery Van Gogh

  • Salome receives the Head of John the Baptist, Caravaggio (1609-10)

National Gallery em LondresPode parecer meio mórbido, mas essa obra sempre chamou a minha atenção. Talvez seja por eu estar familiarizada com a história bíblica de Salomé pedindo a cabeça de João Batista ao Rei Herodes, ou simplesmente pelo choque de ver uma cabeça sendo oferecida em uma bandeja. Essa obra foi pintada nos anos finais de Michelangelo Merisi (nome real de Caravaggio), após ele ter sido forçado a fugir de Roma para Nápoles por ter matado um nobre. A obra se encontra na sala 32.

  • The Beach at Trouville, Claude Monet (1870)

National Gallery MonetAproveite para ver uma obra de Monet ao vivo. Esse quadro exposto na sala 44 retrata a esposa do pintor Camille, à esquerda, e uma amiga curtindo o verão de 1870. Ao que parece, tem grãos de areia na tinta desta obra, o que sugere que deve ter sido pelo menos parcialmente executada ao ar livre na praia. Na sala 41 tem também outra obra de Monet que gosto bastante, The Water-Lilly Pond (1899).

  • The Skiff, Pierre-Auguste Renoir (1875)

Ainda na sala 44 tem também a obra de Renoir retratando duas mulheres passeando em uma canoa, provavelmente pelo rio Sena em Chatou, a oeste de Paris.

  • The Execution of Maximilian, Edouard Manet (1867-8)

5- The Execution of Maximilian, Edouard Manet Essa obra inacabada de Manet é outro destaque da galeria. Retrata a execução do arquiduque Ferdinand Maximilian. Não é possível ver o arquiduque na tela (apenas a sua mão segurando a mão de um de seus generais) e poder imaginar como Manet teria terminado essa pintura a deixa mais interessante. Procure a obra na sala 44.

Bônus: The Four elements: Air, Water, Fire and Earth, Joachim Beauckelaer (1569-1570). Confesso que não sei muita coisa desse pintor, porém, tenho um fascínio por estas quatro obras dele, expostas na sala 11 da galeria. São quatro quadros distintos, mas que se complementam de certa forma, representando os quatro elementos: ar, terra, fogo e terra. São quadros cheios de detalhes e que a cada visita nos permite descobrir um elemento novo em cada quadro. Acho as quatro telas fascinantes!

National Gallery The Four elementsUm pouco da história da National Gallery em Londres

A National Gallery é aquela galeria enorme e linda bem no meio da Trafalgar Square, principal e mais central praça da cidade. Foi fundada em 1824, a partir da compra de uma mansão e coleção de obras de um banqueiro. A mansão foi transformada em galeria e as 38 peças adiquiridas formaram a base da coleção nacional de arte. Porém, devido as proporções do prédio serem infinitamente menores que outras galerias nacionais de arte como, por exemplo, o Louvre a imprensa nacional caiu matando. Então, em 1931, o Parlamento aprovou a construção do novo prédio na Trafalgar Square, que foi inaugurado em 1938.

The National Gallery

Horário de funcionamento

Diariamente das 10h–18h (às sextas fica aberta até as 21h). A galeria fecha nos dias 1 de janeiro e de 24 a 26 de Dezembro.

Por questão de segurança, todas as bolsas são inspecionadas na entrada da galeria. Para os viajantes mais sobrecarregados de sacolas e afins, a galeria oferece serviços de guarda-volumes, mas vale lembrar que há um limite de tamanho permitido. Confira aqui detalhes do tamanho permitido e preços do serviço.

Ah! A entrada é gratuita! Exatamente, todo esse acervo está logo ali ao seu alcance sem nenhum custo. O único dinheiro que você precisará gastar (se quiser) é pra fazer uma boquinha no National Dining Rooms, National Café ou Expresso Bar da galeria (confira aqui detalhes das opções de restaurantes/café da galeria), nas lojinhas, ou para alugar os guias de áudio (Preço £ Adultos: £4 e gratuito para crianças com menos de 12 anos acompanhadas por um adulto pagante).

Sobre o guia de áudio da National Gallery vale ressaltar que está disponível em português, porém, quando levei minha prima (já faz um tempinho), notei que a versão em inglês é bem mais completa, claro. De qualquer forma, se você não domina inglês, ainda acho que vale a pena pagar para ouvir o comentário em português nem que seja só de algumas das obras-primas da coleção.

 

Dica: Para já chegar à galeria sabendo para onde ir, vale a pena imprimir o mapa das diversas salas que é disponibilizado para download no site da National Gallery. Caso não se lembre de imprimir, é possível comprar o mapa (disponível em diversas línguas, inclusive português) na entrada da galeria por uma pequena doação de £1.

National gallery

 

 

23 comments

  1. Alessandra Fratus 13 July, 2017 at 13:00 Reply

    Sonho em conhecer a National Gallery e a Trafalgar Square. Acho que quando eu finalmente for praí, vou ficar sentada horas e horas e horas curtindo as maravilhas que ‘moram’ lá! Adorei o post. Me fez viajar!

  2. Viviane Carneiro 13 July, 2017 at 13:28 Reply

    Nossa… como eu amei conhecer Londres, que lugar incrível! E esses museus são ótimos. Vale muito a pena conhecer. Bjs

  3. Monique Bianchi Ribeiro 13 July, 2017 at 18:13 Reply

    Que legal esse post Karine. Quando fui a Londres não deu tempo de visitar a National Galery, só passei em frente mas já vi que terei que incluir numa próxima visita. Quantos trabalhos de artistas incríveis por lá né e acho que entendo bem esse sentimento quanto a Londres, porque apenas em uma visita já senti que ia amar morar por aí.

    Um abraço!

    • karineporto 14 July, 2017 at 12:05 Reply

      Que pena que você não pode ir, Monique! Quando estiver por aqui novamente, inclua na sua programação, sem medo de errar, pois vale muito a pena! 🙂

  4. Amilton 14 July, 2017 at 14:36 Reply

    Ótimo post! Já visitei Londres, mas não cheguei a ver a a Galeria, espero fazê-lo numa próxima viagem… Abs

  5. Pollyane Martins | www.diariodepolly.com | 14 July, 2017 at 15:41 Reply

    Eu adorei a sua seleção! Ainda não conheço Londres, mas o Museu está na lista com certeza! Também gosto muito de Monet.. Toda vez que encontro um pessoalmente, fico babando por muito tempo! Van Gogh também é demais! O museu dele em Amsterdam foi um dos mais legais que já visitei 😀 Parabéns pelo post! Beijo

    • karineporto 14 July, 2017 at 17:08 Reply

      Obrigada, Pollyane! Que bom que gostou. Perdi a oportunidade de conhecer o museu de Van Gogh porque as minhas companheiras de viagem na época preferiram não entrar! Me arrependo até hoje, mas voltarei a Amsterdam e dou um jeitinho de ir lá. Espero que você venha em breve por aqui e aproveite para conhecer a galeria. Bjs

  6. Analuiza (Espiando Pelo Mundo) 14 July, 2017 at 16:53 Reply

    Um dos meus sonhos de vida é voltar ao National, um dos melhores museus de arte que já visitei! Perco-me facilmente entre estas obras e artistas! Lembro-me de ter visto artistas sensacionais que ainda não conhecia. Fizemos uma visita guiada, for free, onde a guia, uma senhora super gentil, nos apresentou artistas e técnicas. Foi massa! 🙂

    • karineporto 14 July, 2017 at 17:10 Reply

      É demais, né? Até hoje fico abismada que tanta obra linda e importante fique a nossa disposição, e de graça! É um privilégio! Nunca fiz a visita guiada, vou me programar para fazer um dia.

  7. Klécia 15 July, 2017 at 02:39 Reply

    Que seleção incrível Karine! EU sou uma grande fã de arte, e sonho com o dia que vou conhecer a National Gallery. Claro que vou gastar o piso em frente aos lindos Girassois, mas também quero ver Monet, Caravaggio e todas essas outras belezas por lá! Não vejo a hora!

Leave a reply

Translate »